Caminhos para Unifap

Acadêmicos oriundos do interior e até de outros estados encontram dificuldades ao acesso a universidade.

Por Arleson Soares

É o sonho de muitas pessoas cursar o ensino superior, portanto ser aprovado em uma instituição federal é um sentimento único de felicidade, além de uma conquista tremenda na trajetória de alguém. Alguns locais, como distritos mais distantes da cidade grande não dispõem de um local minimamente decente de ensino ou só oferta até determinado nível, o que obriga os moradores a sair de seu local de origem para tentar a vida. Porém o que ninguém conta da vida acadêmica é sobre a vivência destas pessoas que vem de outro estado para estudar na UNIFAP. Muitos alunos enfrentam diversas dificuldades de permanência como locomoção, moradia e adaptação de uma local para outro, o que torna todo o processo de entrada na faculdade muito mais complicado do que seria normalmente.

A acadêmica Amanda Isis do curso de Jornalismo nasceu em Belém do Pará, mas viveu maior parte da sua infância e adolescência na cidade de Breves, no Marajó, interior do Estado do Pará. Na época o polo da Universidade Federal do Pará não ofertava o curso de Jornalismo, que era a principal opção da Aluna, o que foi um dos motivos da mudança para Macapá. Ao ser aprovada no vestibular, ela decidiu correr atrás do seu sonho e se aventurar na nova realidade que viria adiante.

Apesar da distancia de um estado para outro ser pouca, Amanda sentiu o impacto de ser jogada em uma cultura que não é a sua, tendo que se adaptar aos poucos a morar sozinha e se manter em uma nova cidade.  Além da saudade de casa e da família que aperta o peito, a parte financeira sem duvidas é um fator decisivo para permanência de qualquer pessoa na faculdade, o que não é diferente pra Amanda que encontra dificuldades para conseguir bolsa auxilio que deveriam ser facilitadas para estudantes nessa situação. Localizada no campus Marco Zero, a Casa do Estudante que seria um espaço para acolhimento dos acadêmicos, tendo como objetivo dar moradia para pessoas de fora que ingressarem na instituição, segue sem previsão de inauguração.

Mesmo com todos os empecilhos que cercam a vida do acadêmico, eles se mostram guerreiros na batalha do dia a dia, enfrentando toda e qualquer adversidade para estar na sala de aula em busca de um futuro melhor para si próprio ou até mesmo para sua família.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.